• denuncias
  • peticionamento
  • Mediação
  • mov procedimentos
  • autenticidade de documentos
  • administracao publica
  • fraudes trabalhistas
  • liberdade sindical
  • meio ambiente
  • promocao igualdade
  • trabalho escravo
  • trabalho infantil
  • trabalho portuario
  • Não categorizado
  • Dia D: ações tentam reduzir número de choques elétricos, que matam duas pessoas por dia no Brasil

  • BRASILIT BANNER
  • Aviso desfazimento 02 2019
  • Banner eliminacao
  • banner protocolo
  • Banner audin
  • abaixo assinado trabalho escravo

Dia D: ações tentam reduzir número de choques elétricos, que matam duas pessoas por dia no Brasil

Parceria entre instituições públicas e empresas do setor elétrico resultará em ações em diversas partes do estado no próximo dia 27 de novembro

Campinas (SP) - No próximo dia 27 de novembro, instituições públicas e concessionárias de energia elétrica unirão forças para alertar a sociedade sobre a importância da prevenção para evitar a ocorrência de choques elétricos. No “Dia D da Segurança com Eletricidade”, os parceiros realizarão uma série de atividades em todo o estado de São Paulo e nas redes sociais para chamar atenção sobre os riscos e dar orientações de como prevenir os acidentes. Participam da iniciativa o Ministério Público do Trabalho, os Centros de Referência em Saúde do Trabalhador (CERESTs), a Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (ABRACOPEL), as empresas CPFL, EDP, Elektro e ENEL, responsáveis pelo abastecimento de energia no território paulista, sindicatos e outras entidades da sociedade civil.

 A mobilização tem como objetivo reduzir os números de acidentes com choques elétricos, seja em casa, seja trabalhando em uma obra, seja tocando em um fio na rua. São muitas as possibilidades de acidentes e poucas as chances para as vítimas. A ideia é usar a informação como arma para prevenir tais ocorrências.

“As causas destas mortes muitas vezes ocorrem por ausência de conhecimento dos perigos existentes, decorrente de uma cultura de segurança reativa e patológica. É preciso evoluir para uma cultura pro ativa onde busca antecipar os perigos e criar barreiras de segurança”, afirma Alessandro Soares, técnico de segurança do trabalho do CEREST de Piracicaba (SP).

Os dados da Abracopel – Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade confirmam que no ano de 2018, 721 pessoas perderam suas vidas em acidentes de origem elétrica. Destas, 622 mortes foram por choque elétrico, o que representa quase duas mortes por dia.

Entre os locais de maior incidência destes acidentes, as residências se destacam, bem como a área da construção civil. Os acidentes ocorridos dentro de residências somaram 209 mortes em 2018. Além das mortes por choque elétrico dentro de casa, os incêndios originados por sobrecarga e/ou curtos-circuitos vêm traçando uma ascendência alarmante: em 2015 foram 441 incêndios, em 2016, o crescimento continuou com 448 casos de incêndios, 2017 registrou 451 incêndios e em 2018, o número saltou para 537. Mas o mais impressionante é que as mortes neste tipo de acidente estão crescendo ainda mais, se em 2016 e 2017 as mortes giravam em torno de 30, em 2018 subiram para 61, um aumento de 100%. Outro dado importante: cerca de 90% destas mortes ocorreram dentro de casa.

Na construção civil, os acidentes vitimam os profissionais deste setor: pedreiros, serventes e pintores são as maiores vítimas. Segundo a Abracopel, em 2018 ocorreram 145 acidentes envolvendo estes profissionais, sendo 63 pedreiros ou ajudantes com 37 mortes. Os pintores e ajudantes vêm em seguida com 44 ocorrências, sendo 24 delas, fatais.

As causas destas mortes são, na maioria das vezes, por imprudência, falta de uso de equipamentos de segurança, os chamados EPIs e os EPCs. O manuseio de ferragens dentro das obras e a falta de atenção, tocando o metal na rede aérea ainda vitima muitos profissionais. Mas existem também mortes com aqueles chamados de ‘pedreiros de final de semana’, que chamam um ou dois amigos e vão fazer aquela ‘reforminha’ em casa: um puxadinho, um acerto no telhado, enfim: o resultado, infelizmente, é o toque na rede ou o manuseio errado de equipamentos energizados e o choque, que muitas vezes, é fatal.

DIA D DA SEGURANÇA COM ELETRICIDADE

O dia 27 de novembro será um dia de mobilização em todo o estado de São Paulo, quando as várias entidades e empresas participantes farão diferentes ações sempre com o mesmo foco: o alerta para a segurança com a eletricidade. O objetivo é causar um movimento em toda a sociedade e que sirva de alerta, principalmente para as autoridades sobre a importância de se falar sobre este tema. Serão visitadas escolas, estações de metrô, rodoviárias, empresas, obras e locais com grande fluxo de pessoas, com o objetivo de conscientizar por meio de palestras, encontros, panfletagem e outros meios.

Estão previstas ações nas seguintes localidades: São Paulo, Piracicaba, Franco da Rocha, Marília, São João da Boa Vista, Franca, Indaiatuba, Capivari, Jundiaí, Limeira, Rio Claro, Ribeirão Preto, Assis, Bauru e São José dos Campos.

HASTAG PRETENDE MOBILIZAR AS REDES SOCIAIS

Em tempos de redes sociais, em que grandes mobilizações são possíveis dentro do ambiente virtual, as entidades, organizações e empresas agrupadas em torno do DIA D, utilizarão a hastag: #ChoqueNão para finalizar todas as publicações que serão veiculadas no dia 27 de novembro: posts em redes sociais, matérias jornalistas em blogs, revistas virtuais, sites e portais, material gráfico de divulgação etc. tudo terá como elo #ChoqueNão.

Imprimir

  • banner pcdlegal
  • banner abnt
  • banner corrupcao
  • banner mptambiental
  • banner transparencia
  • banner radio
  • banner trabalholegal
  • Portal de Direitos Coletivos