• denuncias
  • peticionamento
  • Mediação
  • mov procedimentos
  • autenticidade de documentos
  • administracao publica
  • fraudes trabalhistas
  • liberdade sindical
  • meio ambiente
  • promocao igualdade
  • trabalho escravo
  • trabalho infantil
  • trabalho portuario
  • Não categorizado
  • MPT Campinas participa de lançamento da campanha Coração Azul em São Paulo

  • telefone banner
  • Banner Nova Sede
  • Banner Coordigualdade
  • Banner eliminacao
  • Aviso de Desfazimento 2018
  • banner protocolo
  • Banner audin
  • abaixo assinado trabalho escravo

MPT Campinas participa de lançamento da campanha Coração Azul em São Paulo

São Paulo - O Ministério Público do Trabalho em Campinas participou, na última segunda-feira (30), das comemorações do Dia Internacional de Luta contra o Tráfico de Pessoas, abrindo a Semana do Coração Azul, da Organização das Nações Unidas (ONU). O evento ocorreu na Secretaria de Justiça e da Defesa da Cidadania do Governo do Estado de São Paulo, no Pátio do Colégio, na capital paulista. A instituição foi representada pelo procurador e vice-coordenador regional da CONAETE (Coordenadoria Nacional de Erradicação do Trabalho Escravo), Gustavo Rizzo Ricardo.

Segundo o relatório "Índice de Escravatura Global 2018", o Brasil tem 369 mil escravos ou pessoas em situações análogas à escravidão. O relatório reúne dados de 167 países e foi apresentado no dia 19 de julho pela fundação australiana Walk Free e pela ONU.

A escravidão contemporânea refere-se a situações em que uma pessoa tira a liberdade de outra pessoa – seja por meio de contração de dívida, privação da liberdade de controlar o corpo ou até do direito de ir e vir - para que possam ser exploradas. A prática inclui os crimes de tráfico humano para trabalho forçado, exploração sexual, casamento forçado ou servil, remoção de órgãos, venda e exploração de crianças e servidão por dívida.

Histórico - Em maio de 2013, o Ministério da Justiça e o Escritório de Ligação e Parceria do UNODC no Brasil lançaram a versão brasileira da Campanha Coração Azul contra o tráfico de pessoas. Com o slogan “Liberdade não se compra. Dignidade não se vende. Denuncie o tráfico de pessoas”, a campanha buscou mobilizar a sociedade brasileira contra esse crime.

Implementada pelo UNODC em outros 10 países, ela tem como símbolo o Coração Azul, que representa a tristeza das vítimas deste tipo de crime e lembra a insensibilidade daqueles que compram e vendem seres humanos. O uso da cor azul também demonstra o compromisso da ONU com o combate ao tráfico de pessoas.

Solenidade - Em 30 de julho foi comemorado o Dia Internacional da Luta contra o Tráfico de Pessoas, abrindo a Semana do Coração Azul da ONU. Em São Paulo, juristas, sindicatos, ONGs, que acolhem as vítimas desse crime cruel e desumano, reuniram-se no Pátio do Colégio, centro histórico de São Paulo, para debater e discutir o assunto.

Eles explicaram e distribuíram folhetos em vários idiomas sobre essa grave situação, que torna 40 milhões de pessoas escravas no mundo em pleno século XXI, como denuncia o documento da fundação Walk Free.

Também participaram do evento representantes do TRF da 3ª Região, TRT da 2ª Região, Tribunal de Justiça de São Paulo, Anamatra, Polícia Rodoviária Federal, Federação dos Caminhoneiros de Carga em Geral no Estado de São Paulo, Centro de Apoio e Referência ao Migrante, Associação Brasileira de Defesa da Mulher, Infância e Juventude, Governo do Estado de São Paulo e Prefeitura de São Paulo.

Com informações da Assessoria de Comunicação Social do TRF3

Imprimir

  • banner pcdlegal
  • banner abnt
  • banner corrupcao
  • banner mptambiental
  • banner transparencia
  • banner radio
  • banner trabalholegal
  • Portal de Direitos Coletivos